Sobre nós

Entre as décadas de 1980 e 1990, o potencial mineral de gipsita atraiu investidores de grande porte para a região, contribuindo para o crescimento da competitividade do setor. Por outro lado, os empresários se perguntavam como fortalecer suas empresas, aumentar produtividade, reduzir custos e ampliar a participação de mercado. Eles se defrontavam com um ambiente de alta competitividade em que as empresas de grande porte ofereciam produtos inovadores utilizando-se de processos de alta tecnologia resultantes, em parte, do acesso regular aos órgãos de fomento e inovação. Ironicamente, o crescimento da competitividade do setor como colocava os produtores industriais de pequeno porte numa situação desfavorável.

 

Foi então que, no início de 2004, o jovem empresário de 26 anos, José Aureliano, assumiu uma postura ativa, mobilizando empresários de micro e pequenos negócios do setor em busca de soluções para elevar o nível de organização, algo considerado fundamental para que pudessem ocupar e manter um espaço mais expressivo no mercado, reduzir os custos de produção e assumir maior representatividade perante as instituições de fomento e apoio à inovação.

 

 

Em março de 2004, os 12 empresários, liderados por José Aureliano, uniram esforços e formalizaram a Assogesso. Os empresários associados começavam a dar seus primeiros passos na direção de ações coletivas, visando não só à superação de dificuldades, mas também ao aproveitamento de oportunidades comuns. O grupo procurou a Unidade de Negócios Sertão do Araripe do Sebrae/PE para receber orientações sobre associativismo.

 

Embora a Assogesso estivesse legalmente formalizada, a atuação colaborativa não era ainda um modelo mental predominante nos participantes. Não havia entre os empresários o nivelamento conceitual quanto à cultura da cooperação. Até aquele momento, a relação com o Sebrae/PE tinha sido muito pontual e individualizada, algo insuficiente. Tornou-se necessário estabelecer uma parceria contínua, conforme declarou o presidente da associação, José Aureliano:

 

“precisávamos de capacitação e o grupo acreditava
que unidos teríamos força para pleitear ao Sebrae apoio
para o desenvolvimento das nossas empresas”.

Ainda em março de 2004, atendidos pela coordenadora da unidade e pelo gestor do Projeto Gesso, a Assogesso passou a integrar o público alvo do Sebrae/PE, habilitando-se para o Programa Redes Associativas. Em maio de 2004, o grupo iniciou a capacitação com o módulo Despertando para o Associativismo, que sensibilizou os participantes para as vantagens decorrentes da cooperação como alternativa para viabilização de resultados comuns aos associados.

 

Decorrido um intervalo de 15 dias, receberam o segundo módulo: Planejando Nosso Empreendimento Coletivo. Os encontros proporcionaram uma reflexão sobre o futuro da organização associativa.

 

Coletivamente, os participantes estabeleceram um plano em que foram priorizadas ações de capacitação em gestão de negócios e ações com foco em mercado.

 

No módulo seguinte foi abordado o tema Praticando o Associativismo, que estimulou e promoveu a cooperação entre os empresários, dando-lhes a oportunidade de praticarem a ação de troca de informações e visitas de intercâmbio às empresas uns dos outros, aumentado a sinergia do grupo e, conseqüentemente, seu nível de confiança e comprometimento. E por último, realizaram o módulo Estruturando e Legalizando um Empreendimento Coletivo.

 

Esse módulo foi importante porque o grupo aproveitou a oportunidade e fez uma revisão do estatuto. O seqüenciamento dos módulos da capacitação fez com que os empresários passassem a pensar estrategicamente e a planejar as suas ações por ordem de prioridade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *